• Grupo ConJor

Dúvidas sobre o currículo lattes? A gente responde


No curso "Currículo lattes para comunicação" do ConJor Capacita surgiram várias dúvidas sobre produções, sobre a atualização e a integração da plataforma. A gente responde cada uma delas nesse post.

Agradecemos às questões encaminhadas por Aline Monteiro Homssi, Ana Paula Martins, Camila Campos, Camila Hartmann, Gilson Antunes, Kaio Veloso, María Valeria Giamportoni, Stephanie Lyanie e Taiandir Penna.

E se você perdeu, não se preocupe. O arquivo .pdf da apresentação já está disponível.

Capacita_Lattes_Curso
.pdf
Download PDF • 2.85MB



1. Posso escolher o sobrenome que aparece nas publicações?

Quando você se inscreve em eventos, pode usar seu nome em citações. Assim evita ter mais de uma identificação.

Se você usar uma identificação diferente do seu nome completo, pode acrescentar outros nomes no campo “Nome em citação bibliográfica”, como indica a imagem abaixo. Desta forma, o lattes poderá identificar um modelo de citação ou mais.

No campo de registro você também pode optar por se identificar através do seu nome social.


2. Além de maternidade/paternidade, é possível justificar no Lattes períodos de baixa produtividade devido a problemas de saúde física e/ou mental? Se for possível, como fazer isso? Como esse tipo de inclusão de baixa produtividade é vista entre os pares?

Não há nenhum campo previsto para isso, infelizmente. A própria indicação de paternidade, embora compreendamos que em alguns casos tenha impactos sobre a atuação do pesquisador, não é ponto pacífico. A maternidade, por afetar tanto a rotina quanto o corpo da mulher, costuma ser indicada.


3. Qual a diferença entre mestrado profissional e mestrado acadêmico?

Mestrado acadêmico e mestrado profissional são modalidades de cursos de pós-graduação stricto sensu. O mestrado profissional, segundo dados do MEC, foi criado na década de 1990. Mas somente em 2017 foi instituído o Doutorado Profissional. Neste momento, havia 718 cursos de mestrado profissional em funcionamento no país.

Os mestrados profissionais buscam uma articulação com a formação profissional e o mercado e passam pelas mesmas etapas de avaliação dos mestrados e doutorados acadêmicos. No entanto, há adequações nos critérios de avaliação, todas previstas no documento de área. No caso da Comunicação e Informação, a versão 2019 pode ser acessada aqui.

Fonte: Documento de área Comunicação e Informação 2019


Fonte: Documento de área Comunicação e Informação 2019


4. Como incluir a supervisão de pesquisa em um mestrado profissional?

Se for em um caso como o seu, em que há um/a orientador/a principal e você como supervisor, a supervisão pode ser incluída como co-orientação. O caminho é Orientação -> Orientações e Supervisões em Andamento -> Incluir novo item.


5. Cursos não ligados a instituições acadêmicas têm valor para o Lattes? O que caracteriza um curso de curta duração? Minicursos de eventos acadêmicos entram em curso ou em evento?

A definição do curso de curta duração é feita pela duração mesmo. Cursos até 40 horas devem ser inseridos como evento. Já cursos com carga horária maior podem ser inseridos como formação complementar. Os minicursos de eventos podem ser lançados como evento, porque não têm carga horária para serem curso de formação complementar. Eles não precisam ser vinculados a instituições acadêmicas necessariamente. Podem ser oferecidos por empresas e, desde que tenham aderência com sua área de atuação, têm validade.


6. É errado colocar cursos de curta duração em Formação Complementar?

Por definição, sim. Mas pode ser uma estratégia para ampliar a visibilidade de um curso no currículo.


7. O que vale como comprovação de produção de pareceres em eventos internacionais? É necessário solicitar um documento específico de comprovação?

Há algumas possibilidades de comprovação: 1) o e-mail de agradecimento pelo envio do parecer (neste caso, normalmente o sistema “pergunta” se você gostaria de enviar uma cópia para si mesmo); 2) uma declaração; 3) uma nominata de pareceristas que esteja disponível no site do evento.

O e-mail de convite não pode ser utilizado porque ele não comprova a realização, somente o convite para realizá-lo.


8. Quando você é bolsista de um projeto na universidade, como colocar isso no Lattes? Ser bolsista em projeto entra como vínculo empregatício?

Sempre que você estuda em uma instituição e atua como bolsista, monitor/a, voluntário/a em projetos de ensino, pesquisa ou extensão precisa inserir essa instituição no campo “Atuação Profissional”. Neste caso, o enquadramento funcional será estudante e o vínculo será estudante de graduação ou de pós-graduação, com indicação de não ter vínculo empregatício. Depois disso, é preciso clicar em “Atividades” e inserir todas as atividades desenvolvidas (representação em colegiados, atuação em comissões, projetos e linhas de pesquisa, projetos de extensão, monitorias, etc).


9. Nas participações em eventos, é possível colocar “Convidado - Avaliador”. É aí que incluímos os pareceres para trabalhos enviados há eventos? Esse tipo de atividade também é registrado em outro local do Lattes?

Pode ser registrado neste campo mesmo. Se você atuar no evento também apresentando trabalho ou participar como ouvinte, pode lançar o evento mais de uma vez ou elencar o que ache mais importante, caso prefira lançar o evento somente uma vez.


10. O que caracteriza exatamente uma publicação contribuir para popularização C&T?

A educação e popularização de CeT diz respeito a atividades vinculadas à divulgação e popularização da ciência. Então, ações voltadas para o público geral, entrevistas concedidas e textos em periódico, site ou rede social que digam respeito às pesquisa desenvolvidas e conceitos da área podem ser contempladas. Podem ser produções bibliográficas ou técnicas. Elas são indicadas no momento de lançar a produção e depois o sistema as congrega no item Educação e Popularização de C&T.


11. Com relação aos blogs como produção, como fazer com os textos que não estão mais disponíveis on-line, como no caso de um blog desativado?

Como é preciso comprovar o que está no currículo lattes, os textos só poderão ser inseridos se você tiver uma versão em pdf ou imagem desta publicação. Neste caso, insere-se a publicação com todos os dados e no campo Observações indica-se que o blog foi encerrado.


12. Ainda com relação aos blogs: é preciso informar cada texto publicado ou apenas o blog, ou há as duas possibilidades?

Há as duas possibilidades. Isso vai depender da natureza da produção. Se você é o responsável pelo site ou blog, por exemplo, pode inserir a edição em uma entrada, no campo Redes sociais, Websites e blogs. Indicamos individualmente os textos de destaque, mais relevantes. Do contrário, eles se perderiam no volume de informações caso inseríssemos, por exemplo, todos os textos informativos produzidos como jornalistas.


13. Quando você faz parte de um grupo de pesquisa, cadastrado no CNPq, mas seu nome não aparece no Diretório do Grupo de Pesquisas, o que é preciso fazer?

É preciso verificar possíveis erros: 1) O/a coordenador/a do grupo pode não ter atualizado sua participação no DGP; 2) O grupo pode estar em status “em preenchimento” no DGP. Caso não haja nenhum destes problemas, é preciso entrar em contato com o CNPq através do e-mail atendimento@cnpq.br


14. Como incluir participação em grupo de pesquisa que foi cancelado? Como comprovar essa participação?

O CNPq passou a registrar os egressos dos grupos de pesquisa somente em 2014. Se você saiu depois disso, consegue a comprovação utilizando o espelho do grupo ou o seu espelho de pesquisador. Em ambos deve haver esse registro.

Se a desvinculação for anterior a 2014, a comprovação pode ser realizada através de uma declaração e a atuação no grupo pode ser inserida no campo “Outras informações relevantes”.


15. Como se comprova Linha de Pesquisa?

Linha de pesquisa é um campo que não precisa de comprovação. Normalmente ela está vinculada a uma atuação profissional - como estudante ou docente - e essa atuação é que precisa ser comprovada.


16. Quando participamos da organização de um evento e nosso certificado vem com uma descrição geral como “integrou a comissão organizadora”, mas o Lattes dos professores traz apenas o nome dos professores organizadores do evento e não dos bolsistas, qual o comportamento correto? Essa forma de notação no Lattes dos professores pode prejudicar o Lattes dos alunos participantes da comissão do evento, em caso de avaliações?

Não afeta. Muitas vezes isso ocorre porque a comissão organizadora é numerosa e os docentes acabam inserindo somente os coordenadores da comissão. Em uma avaliação de currículo, esse cruzamento não ocorre, principalmente no caso de organização de eventos de maior porte. O importante é você ter a certificação da sua atuação.


17. Quais os melhores itens para inserir na impressão do Lattes? Apenas o padrão? Para seleções de doutorado ou concursos, por exemplo?

Essa opção vai variar muito com o uso que se vai dar ao lattes. Se são concursos ou seleções de doutorado, normalmente há um barema que acompanha o edital e o/a candidato/a pode optar por selecionar somente o que será avaliado. Outra alternativa é enviar a versão completa, que contempla todas as informações lançadas no currículo.

É muito importante observar se isso não está delimitado no edital. Em alguns casos é solicitada a versão padrão CNPq ou a versão resumida, ou ainda a produção e experiência profissional restrita e um período de tempo. Neste caso, é preciso indicar no momento da impressão ou exportação.


18. Qual o impacto do conselho editorial na inclusão de publicações no Lattes?

O conselho editorial é fundamental na avaliação de uma obra científica. O conselho de uma editora é responsável por avaliar a obra - sua atualidade, sua qualidade, sua aderência ao perfil da editora. Somados aos pareceristas acionados pelo conselho, eles decidem se obras das suas áreas de especialidade devem ou não ser publicadas. É parte do processo de peer review tão importante na academia. Obras publicadas em editoras que não têm conselho editorial tendem a ser pior avaliadas em processos seletivos e avaliações institucionais, como a Quadrienal Capes.


19. Com a quarentena, diversos cursos têm sido oferecidos, mas muitos deles, em busca de permitir uma grande quantidade de participantes, optam por não emitir certificados. Gostaria muito que alguns desses cursos constem no meu currículo pois considero eles relevantes na minha formação. Como proceder? Posso usar comprovantes de inscrição e e-mail em lugar de um certificado nesses casos?

Infelizmente não, porque a inscrição não comprova participação. Cursos que são oferecidos sem certificação, não podem ser lançados no Currículo Lattes.


19 visualizações